Login

Sugestões

Faça o login e visualize as sugestões

Usuários on line

Nós temos 1687 webespectadores online

Revista

Gestão Universitária

Veja os grupos de discussão

As opiniões que aqui são expressadas não representam necessariamente a posição da Rede Mebox.
Os comentários postados são de responsabilidade única e exclusiva de quem os postou.

Mural do Grupo
Abigail França Ribeiro
Pois é. Ainda há muito por fazer. Apesar de todo esforço desenvolvido, desde 1998, o que andamos ainda é muito pouco. Já sabemos o que é PDI; o que é PPI; o que é PPC (lembram-se da Profa. Maria Umbelina nos ensinando?). Mas alunos não sabem, professores não sabem, instituições não sabem. Recebo emails de coordenadores de cursos, diretores acadêmicos, gestores, que não têm a menor idéia do que seja uma matriz curicular, sua organizaçao, construção, adequação. IES criam cursos sem qualquer cuidado, sem qualquer avaliação, com o maior descaso... e depois reclamam da falta de inscrições ao processo seletivo! Nossos professores sequer sabem demostrar para os alunos seus planos de ensino...
Seg, 28 de Março de 2011 21:36
 
Luiz Fernando Gomes Guimarães
Pois é Carlos, assino em baixo. Só acrescento algo. Quando falamos da IES agregar valor à formação estamos falando não só do Projeto Pedagógico do Curso como, também, do Projeto Pedagógico Institucional. O primeiro está (ou deveria estar) articulado com o segundo. E aí você tem plena razão: são poucos os que conhecem ou, se conhecem, vêm significado num e noutro.
Qui, 24 de Março de 2011 10:28
 
Carlos Eduardo de Araújo Nogueira
Vou um pouco mais além, Luiz Fernando. Quem sabe o que está vendendo?

Na minha experiência sobre este assunto, ainda não vi nenhuma IES "vender" seu projeto pedagógico. O diferencial de um curso em relação aos outros é a proposta pedagógica. O engessado "perfil do egresso", que vem junto com as DCN, ajuda a dar o direcionamento para a construção da matriz do curso. Mas são poucos os educadores que param para ler e compreender o que elas querem dizer. E o projeto pedagógico não se limita a isso.

Então, o que a gente vê? Um discurso vulgar que todas usam: melhor estrutura, cursos reconhecidos pelo MEC, "professores ALTAMENTE qualificados"... blá blá blá! Ninguém vende o que é realmente o produto, o projeto pedagógico. Mas sabe porque não se vende o PP?! Porque ninguém o conhece de verdade! Nem mesmo o gestor do curso, o coordenador. O camarada só vai tomar pé quando vem a comissão! Se for falar de PPI!!!!! Qual gestor leu o PPI da sua IES?

Algumas IES possuem equipes de captação de alunos. Perguntem a eles, vocês conhecem os projetos pedagógicos dos cursos que estão vendendo? Adianto a resposta, porque já fiz essa pergunta a várias: NÃO!

Normalmente, quando uma IES quer lançar um curso novo, o diretor acadêmico chama um amigo e pede para ele montar o curso. Quantos de nós sabe exatamente o que é um projeto pedagógico? (Claro que estou perguntando para um grupo que realmente sabe o que é.) Então, o que acontece? O professor, na melhor das suas intenções, monta "uma grade curricular", muitas das vezes copiando outra(s) grade(s) de outra(s) escola(a). Ora, isso não é um projeto pedagógico! Isso é uma cópia barata, uma plágio safado, de uma matriz curricular que também não é um projeto pedagógico e por aí vai. É por isso que ninguém vende o que realmente é o curso.

Vocês da CONSAE, Clayton, Roberta, Abigail, que estão aí dando assistência à escolas por toda parte, deveriam ensinar como fazer um projeto pedagógico que venha a se traduzir num produto realmernte único para aquela IES. Se precisarem de alguém para ajudá-lo a fazer isso, me convoquem. E falando de gestão, quando o aluno entra na IES ninguém apresenta para ele o que é o projeto pedagógico. O menino não sabe o que comprou. A matriz curricular não é o produto, é apenas parte dele. Perguntem a seus alunos quantos já leram o PP do curso que comprou. Eu adianto a resposta: nenhum!
Qui, 24 de Março de 2011 10:17
 
Luiz Fernando Gomes Guimarães
Penso que o grande desafio de nossas instituições de ensino superior para a captação e retenção do aluno é demonstrar que ela (Instituição) é capaz de agregar valor à formação do indivíduo. Enquanto a preocupação for somente obter um diploma, qualquer escola e qualquer serviço servirá.Esta agregação de valor poderá vir de diversas formas: reconhecimento do mercado, excelência do ensino, modelo inovador de formação, etc. O problema é que, quase todas as IES se repetem, seja no curriculo, seja na metodologia e aí passam a vigorar outros quesitos como preço, instalações físicas somente, facilidades de aprovação etc, etc, etc
Qui, 24 de Março de 2011 08:43
 
Cesar Luis Guimaraes
Como tenho acompanhado os assuntos, acho que IES tem um grande desafio pela frente não basto captar os estudantes, mas sim seduzido este pelo período que esta na Instituição, e após quando formato para sim que seja um membro ativo e participativo da Instituição.
Qui, 24 de Março de 2011 08:26
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Próximo > Fim >>

Copyright © 2013 REDEMEBOX - Todos os direitos reservados

eXTReMe Tracker